quinta-feira, 21 de abril de 2011

imaginário, leitura, escrita e a solidão dos matadores

(Sérgio Fingerman - imáginário)

Ando perplexa com o mundo demonizado que temos visto hoje em dia e sem querer muito, tenho pensado maneiras de acalmar a alma, limpando a lama da rua.
Depois das fortes notícias sobre a morte de trinta e tantas pessoas nos EUA, onde um jovem coreano, SOLITÁRIO, solitário, vejam bem... palavra dita e refrisada pela mídia, resolveu dar cabo dos festeiros (segundo ele mesmo em carta deixada antes de se matar) e dos jovens que não dão valor o valor aos sacrifício do estudo, para limpar o pedaço onde ele estava.
Rebelde sem causa, cavaleiro desequilibrado, ato heróico ??

Outro caso bem recente, 2011, o massacre do Realengo, outro solitário, que armado e em surto, matou treze adolescentes.

Isso faz pensar no básico: como foi a infância dessas criaturas, muitas dúvidas não? É uma preocupação, como estamos criando nossas crianças?
Há de se nutrir o imaginário nossas crianças, há de se gerar novos e poderosos movimentos - há de se cumprir a Lei.
Esta nossa lei falha e desavergonhada que não conta muito, mas a Lei Justa e divina esta que em breve se instalará integralmente, por enquanto vai mostrando o rosto aos poucos como uma grande sombra e nos fazendo refletir.
O que estamos fazendo por nossos pequenos futuros heróis?  não o herói sem causa como o jovem coreano, ou o nosso menino do Realengo ... ou talvez com a causa individual da solidão, onde no imaginário trancado talvez tenha visto o inusitado. Talvez tenha visto que pela porta da bala, da metralhadora ou da arma calibre 38, ele alcançaria no real o que não foi alcançado no ideal, no mundo das idéias,  libertou-se. Libertaram-se.

Talvez não tenham tido na infância um mundo de cores e sonhos que alguém em sã consciência deveria ensinar, mostrar, oferecer: o contar uma história. Dar atenção ao ser em formação.
História sim, contos de fadas, fábulas - contos das Reinações de Narizinho e mais um sem número de coisas gostosas que geram em nós a auto estima, a vontade de ser herói, de ter honra de lutar por mundos verdadeiramente Justos.

Se não por medo do futuro, se não pela própria vontade de transformar o mundo, no mínimo agrade alguém, conte uma história...
nutra a alma dos pequenos seres, agite essa bandeira sem dor. Faça essa parte ser sua.

Compre um livro - sente com teu filho, sobrinho ou neto na hora das malignas novelas e "PERCA SEU TEMPO" investindo no futuro. Nutra a alma e a imaginação de um ser em formação, como quem sabe um dia tenham feito com você. Que fez com que você tivesse se tornado esse ser Hoje. Relembre histórias em família, nada de almoço e jantar com tv.

Fale dizendo, escute ouvindo... imagine nutrindo... e se isso tudo não funcionar, escreva, mande cartas, bilhetes e scrapsw...

Vá a um asilo e conte histórias, à um orfanato e se torne presente, compre livros de contos de fadas, escreva um, crie e distribua. Retome as rédeas da imaginação. Presenteie com histórias, compre fantoches, narre, participe de espaços onde isso é feito.

Incentive a leitura em sua empresa, compre livros, doe livros. Nós estamos sem líderes porque falta imaginação... o mundo resolveu alinhar pela superfície e pela igualdade (??) do óbvio!! Nivelamos o mundo imediato pelas celebridades e celebritísmos (nem sei se essa palavra existe, mas me permitam por favor) e infelizmente não pela integridade porque falta NUTRIR O IMAGINÁRIO DE NOSSAS CRIANÇAS E DE NOSSOS JOVENS E ALGUNS ADULTOS, com realidade arquetípica. Chega de pagodinho, axezinho... cante canções de ninar e converse sobre isso com seus descendentes...

Faça da imaginação a porta de entrada de um novo mundo. Seja você a diferença entre a pessoa que passou pela vida de alguém e a pessoa que deixou uma coisa que me contaram quando eu era pequena...
Ai quem sabe a solidão que parece reger o mundo e leva a violência, comece aos poucos ser menos grosseira e passe a ser coletiva e um dia quem sabe civilizada. A solidão gera medo mas, quem tem imaginação ativada nunca está sozinho e com isso o medo não faz morada e a solidão virá brinquedo.
A vida é potencializada para quem aciona o ato criador. Crie.


(brincando em San Telmo - por Elaine)

EU NÃO ESTOU SOZINHA!
"EU PENSO, LOGO EXISTO."
EU IMAGINO...
e meu mundo é preenchido de amigos!!  
vamos brincar??
Mas isso é só uma idéia, mas vai que dá certo né??

De algum lugar do planeta, Elaine

"Há de se gerar heróis no imaginário": é um texto de 2007 que repaginado, migra do antigo blog para  aqui para o P O R T Á T I L.







2 comentários:

VILMA PIVA disse...

Elaineee, é simplesmente sensacional o seu texto!
Concordo inteiramente, pois a formação de um ser depende de atenção, cuidados,e carinho.
Porisso digo e repito: Toda Criança tem o Direito de Ser, Crescer, Sonhar e Vencer!
Bravissimo, querida!
Beijos,
Vilma

Elaine P Bombicini disse...

Vilma querida!!
nosso amor elo Belo, pela possibilidade da vida desabrochar, sempre nos manterá Unidas no nosso porpósito de Vida! um beijo e todo carinho para voce!!