terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

tempo para processos de fé

"Em minha alma existe um templo, um santuário, uma mesquita, uma igreja onde me ajoelho. A oração deveria nos trazer a um altar onde nenhuma parede ou nome existe. Não há uma região do Amor onde a Soberania não é iluminada por nada, onde o êxtase jorra para dentro de si mesmo e se perde, onde as asas estão totalmente vivas, mas não há mente nem corpo? Em minha alma existe um templo, um santuário, uma mesquita, uma igreja que se dissolvem, que se dissolvem em Deus.”   (texto sufi, cedido por CIRA)


Falando sobre processos de fé, há de se plantar mais essa semente.
A oração deve vir da emoção, pois a razão deturpa nossas intenções. Assim como os pores de sóis, tão livres e luminosos que revelam nas sombras o final do dia e mesmo assim não nos entristecemos por isso.

A fé deveria ser assim.


De algum lugar do planeta, Elaine








(foto através de minha janela)

3 comentários:

Adélia Nicolete disse...

Registros do nosso tempo, do nosso lugar.
Bela imagem, belo texto, Lan. Beijos!

Elaine P Bombicini disse...

tks querida!!!Coisas que nos inspiram a inspirar... um beijo, Elaine

VILMA PIVA disse...

Que texto lindo sobre esse templo que existe dentro de nós. Assim me sinto prcessando e professando minha fé em Deus! Linda reflexão que nos leva ao centro de nossa alma. Bjs. Vilma