quinta-feira, 17 de novembro de 2011

:: Migras ::




Há a armadilha do tempo,

Passageiro.

Em misteriosas terras distantes

Abrindo-se em fronteiras, fluis

Entre sóis e luas à sós

com suas sombras elásticas
 
migras eterno

através de mouros ventos

dá-me detalhes de suas passagens

E nas certezas de ser
 
Imortal mensageiro,

Sangram os vagos pensamentos

Nos abismos de céu e sal

Peregrino etéreo,
 
Alvo que persigo no passar dos dias.
 
Eres a calma resoluta

Onde sou fúria incumbida.


Elaine
Direitos Autorais Reservados®


 

6 comentários:

Anônimo disse...

Ah, Lan, como é bom te procurar e te encontrar. Deixe sempre as suas delicadezas por aqui - sinais e conforto aos peregrinos da net. beijos da Adélia

Elaine P Bombicini disse...

Adélia!!
quando me concentro, me conecto! Tenho trabalhado forte para isso, algumas coisas surgem... O teu carinho é fundamental! Valeu pela passagem e pela apreciação... beijos voadores! Lan

Marli Franco disse...

Elaine

Querida Poeta estar em teu espaço enriquece a alma e eleva o pensamento nas buscas que nos fazem evoluir.
O teu espaço esta maravilhoso.
Amei ler-te!
Ave Poesia!
um beijos de violetas e meu carinho

VILMA PIVA disse...

Elaine, querida, também sua percepção não tem lugar fixo, ela migra para onde quer que você olhe ou esteja e nos presenteia com mais essa beleza etérea. Parabéns!! Beijos, Vilma

Elaine P Bombicini disse...

Marli,
Ave poesia!!
como sempre preciso me dar uns trancos para que a disciplina atue nos escritos...rs mas estamos indo, aos poucos agrego poesia no blog! Que bom ter-te por perto Marli, este ano com certeza será bem mais poético!! sigamos nos símbolos e nas melodias...hora dessas cruzamos dados...rsrs beijos querida!!

Elaine P Bombicini disse...

Vilma querida!!
Obrigado!
Seus olhares sempre são muito bem vindos!! Delicado post! beijos etéreos, Lan