quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Alerta de Buenos Aires, anjos reais e encarnados!!

Tanto tem se falado em violência, que creio, as pessoas se esquecem de proteger-se!Como observadora que sou, sempre tenho em mente um grande círculo de luz azul ao meu entorno, (sigo aqui o princípio da Luz do Raio Azul de São Miguel Arcanjo, meu protetor). Mas vamos combinar, mesmo que isso seja um artifíco mental e no meu caso dê muito certo, se não andar prudentemente nada disso adiantaria. Explico:

Nas últimas três vezes aqui em Buenos Aires e todo mundo sabe, porque eu não escondo que amo estar nessa cidade, mas o diabo é que fatos ocorrem, vamos a eles, feito narrativa do Nelson Rodrigues:

1. Estava eu  andando na Calle Lavalle, perto do restaurante Los Imortales, cerca de umas 19hs, quando senti às costas uma sensação (sim exatamente essa de que algo vai ocorrer), foi o tempo de delicadamente empurrar o Ricardo (que não entendendo nada...) pra o lado para vermos uns trabalhos em artesanato (expostos no chão por um artesão) e deixar os dois estafadores passarem. O que eu vi: ao olhar para trás por este forte pressentimento vi um dos rapazes olhando o bolso traseiro da calça do Ricardo. Olhei fixo para ele, disfarçou, mas o outro muito desligado permaneceu olhando, denunciando com clareza a intenção. Ponto pro meu anjo de guarda que delatou a intenção. Eles passaram a nossa frente, rapidamente se perderam na multidão e a carteira veio pra o bolso da frente.

2. Estávamos voltando de um passeio de trem pelo Delta do Tigre, e no Metro, quase vazio!! um rapaz muito ingênuo, foi encostando perto de nós, eu ia sentada e Ricardo de pé a minha frente,  digo ingênuo, pois frazino do jeito que era perto do Ricardo que tem dois de altura, grande e forte, só pode ser ingenuidade. De repente o braço por baixo de uma campeira (jaquetona) surge querendo mexer no bolso do Ricardo, eu olhava estupefata, em choque e quase rindo, porque a situação era digna de uns tapas bem dados no grande tolo. O que me chamou a atenção era a magreza de seus dedos, pareciam aranhas vindo ao sol, dedos tristes, opacos perdidos, sem força. Ricardo, pressentiu afastou-se  com uma encarada e a porta abriu e o infeliz saiu rapidamente se perdendo na multidão de dez na plataforma do trem. O rosto dele não me sai da cabeça, muito parecido com seus dedos pálidos, um moleque. Me penalizou a situação, não sem antes xingar internamente a falta de inteligência deste pobre diabo!)

3. Leituras da vida sempre são úteis, antes de iniciar essas series de idas e vindas para Bue, lia blogs comentando de problemas e coisas como estas relatadas. E há muitos heim?? Sempre divulgo pois a informação é poder inclusive de proteção. E uma dessas leituras me serviu, neste último domingo. Estávamos indo à pé para o Malba http://www.malba.org.ar/web/home.php
Museo de Arte da America Latina de Buenos Aires, pela Avenida Del Libertador, até onde se torna Av. Figueroa Alcorta, já na área nobre quando algo úmido caiu em minha cabeça, se fosse só isso era passarinho, mas senti espirrar nas pernas e nas costas. (desculpem a fala, mas passarinho não caga na horizontal, pelo menos não com essa força!!!) De imediato me pus em alerta, e a Ricardo também. Agradeci a ajuda que foi oferecida por duas pessoas e me mantendo em movimento o tempo todo  e observando a reação destas pessoas. Sairam de fininho e sumiram em menos de 30 segundos de nossas vistas. O que vimos: é um golpe antigo, te sujam (era tempero verde, fdp...) e vem até você com o intuito de te oferecer papel e água para te limpar e limpam mesmo, carteiras, bolsa, camera... Com a minha reação a pessoa principal uma mulher e dois homens ficaram alertas e não insistiram. Estavámos a 3 quadras do Museo, ela e um comparsa à frente sentados na mureta de uma esquina com árvores, pois afinal o "passarinho" tinha que estar em cima de nós... e o outro olhando um mapa plastificado, o que me chamou muito a atenção. Quem em sã consciência manda plastificar um mapa que se encontra em qualquer hotel da região! heim??
Exatamente nessa hora senti o tal úmido e de pronto os dois vieram ajudar, o terceiro passou à frente e foi andando, mas como a atenção estava alerta e o Anjo estavam por perto (creio nisso profundamente), eles literalmente ficaram sem ação. Agradeci a ajuda me afastando claramente e puxando o Ricardo, pude olhar para a mulher, que de óculos fazia uma cara meio torta de que não entendia nada que ocorria e o outro mais cheinho, foi acelerando o passo. Quando percebemos que havia certo espaço de segurança limpamos um pouco a roupa com minhas toalhas úmidas, OS AGRADECI novamente em voz alta e clara, ela sorriu amarelo com ouro (marca comum das peruanas aqui em Buenos Aires) e disse: ah! la señora está preparada! Nessa hora tive certeza que era golpe, mesmo porque o cheiro do líquido era de tempero. Agradeci uma vez mais as forças que cuidam de nós. Seguimos ao Museu para vermos a exposição latina. Para minha surpresa, no banheiro uma senhora francesa com a roupa muito mais manchada que a minha e ao sair vi outro senhor com as mesmas marcas e pensei o quanto o mundo anda demonizado. Mas apesar de tudo todos estávamos ilesos e o Abapuru, tão lindo de Tarsila me fez esquecer tudo isso.

4. História de Ricardo: Ontem pela manhã ao sair para o trabalho, foi por um táxi e estava aguardando e fumando seu cigarro, quando percebeu uma dupla, um de cada lado de uma garota, observando seus passos. A garota desperta, percebeu e segurando a bolsa saiu de lado e eles então girando nos pés viram um senhor de idade na mesma calçada que Ricardo, que carregava uma espécie de pochete pendida de uma das mãos. Quando percebeu que os dois iam ao encontro do senhor para roubá-lo, gritou abanando as mãos: "Sr. Velasquez, Sr. Velasquez!!! e o Senhor abanando a mão olhou pro Ricardo surpreso, com isso os dois sumiram, Ricardo entãodesculpou-se com este senhor, por tê-lo confundido com outra pessoa e tomou seu táxi que acabara de chegar, o velhinho sorrindo atravessou a rua sorridente e a vida seguiu linda.

Escrevo isso tudo muito emocionada! pois entre esses fatos, há a possibilidade, a escolha, a gratidão, a gratidão e a gratidão!! Ainda há Anjos atuando na terra, e alguns deles são de carne e osso, mas tenho certeza ABSOLUTA, são inspirados pelos de grande LUZ.

Hoje não vou sair, vou dar tempo de meu anjo preparar meus passos para amanhã. Se sair vou a meio quarteirão daqui comprar um chaveiro que vi para uma amiga querida e almoçar na Graciela do Bar Tango, com quem tenho afinidades.Definitivamente a vida é boa e minha fé poderosa!! Que eu siga assim sem esmorecer! E que Deus nessa infinita onda de amor, abençoe a estas pessoas que ainda precisam tirar dos outros antes de oferecer de si!

Dias de Luz rompedora de Sombras para todos nós! Elaine

5 comentários:

Marli Franco disse...

Elaine fiquei aqui de boca aberta literalmente.Que o Anjo São Miguel continue sempre te protegendo e ao Ricardo.
Um belo carnaval para vcs .
um beijo de viletas

VILMA PIVA disse...

Elaine, querida, que os anjos os guardem!!Tenho certeza que uma luz divina os acompanham. Beijos,

Elaine P Bombicini disse...

Vilma! que assim seja, sempre e por todos os tempos AMÉM, AMÉM,AMÉM!!! saudades amada! beijos poéticos, Lan

Elaine P Bombicini disse...

Marli,
ele sempre está!
Analisando o tudo que ocorreu, só posso crer nessa grande proteção!
Que ela seja e esteja sempre ao nosso favor!

Um beijo querida e todo meu carinho all family!!! e sob as asas gigantescas em azuis, Lan

Carina disse...

Sem dúvida os anjos da guarda de vocês estão trabalhando muito ultimamente.

Mas ponto para você, pessoa de mente e coração abertos, para perceber os pequenos detalhes que estes anjos colocam a nossa frente para nos prevenir.

Quantas vezes não ignoramos os sinais de nossos protetores... Quantas vezes achamos bobagem dar ouvidos as sensações, pressentimentos e idéias que surgem do nada.

A maldade está solta no mundo e cada vez mais está disseminada em todos os níveis. Acredito eu, que propositadamente, a serviço da nossa evolução como planetinha.

Não digo que devemos ficar sempre procurando pela maldade a título de prevenção, até porque o pensamento acaba atraindo para si mais coisas até do que era necessário passar. Mas também não podemos ignorar e andar pelas ruas achando que estamos cercados de amigos.

Acredito no pensamento forte, antes de sair de casa, na certeza absoluta de que nada de mal pode nos acontecer, na crença definitiva de que Deus EM NÓS nos protege e nos guia em todos momentos.

Bjos querida...
Que esta percepção "violeta" se expanda em sua aura...

Saudades.
Carina